No dia 7 de outubro, o deputado federal Rodrigo de Castro foi homenageado pela Associação dos Economiários Aposentados de Minas Gerais (AEA-MG) em reconhecimento pelo seu trabalho na Câmara dos Deputados e no Senado que culminou na aprovação do projeto que garantiu a manutenção dos direitos dos planos de saúde para os trabalhadores e aposentados das estatais, entre elas a Caixa Econômica Federal.

O deputado participou ativamente na defesa do Projeto de Decreto Legislativo (PDC) 956/18, que suspende os efeitos da Resolução 23/2018, do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, que entre outros pontos, encareceria o custo dos planos de saúde aos funcionários de estatais.

Ao deputado Rodrigo de Castro nossos agradecimentos pelo seu empenho na defesa dos interesses dos participantes dos planos de saúde nas empresas estatais, em especial pelos aposentados da Caixa, por ocasião de vossa atuação e consequente aprovação do PDC 956/2018 na Câmara dos Deputados”, disse o presidente da AEA-MG, Maurício Marques de Aguiar ao entregar uma placa de reconhecimento.

De acordo com Maurício, a homenagem prestada pela AEA-MG foi feita em nome de todos os economiários, aposentados e empregados das empresas estatais do país inteiro, que têm direito a plano de saúde.

Estamos cumprindo o nosso dever de gratidão com a pessoa que deu o sangue pra gente conseguir naquele momento crucial a derrubada da resolução, que afligia tanto. Se a gente não tivesse contado com um apoio de corpo e alma tanto na Câmara como no Senado, talvez a gente não tivesse conseguido, e nosso objetivo é devolver esse sentimento de gratidão a ele”, declarou.

Na oportunidade, Rodrigo de Castro externou sua satisfação em representar a classe e poder contribuir com uma causa que dizia respeito à saúde de milhares de famílias de profissionais que prestam ou já prestaram importantes serviços para a população, e celebrou a oportunidade de rever grandes amigos de seu pai, Danilo de Castro, que por muitos anos foi funcionário da Caixa, chegando à presidência do banco.

A gente acompanhou o tempo todo, a importância que é para essas famílias ter um plano de saúde e a injustiça que era acabar, retirar esse benefício da vida das pessoas. Então fica esse sentimento que é saber que a gente estava fazendo o bem para um contingente imenso de famílias”, declarou o deputado, acompanhado pelo pai.

Segundo o deputado, havia uma grande resistência para aprovação do projeto por parte da equipe econômica do governo, e foram necessários união e emprenho nas negociações para mostrar a importância social do tema e garantir um acordo na Câmara, além de acompanhar a tramitação junto aos senadores para que o projeto fosse finalmente aprovado.

É muito difícil que um decreto legislativo torne sem efeito uma lei ou uma portaria; é muito raro de acontecer e em tão pouco tempo é praticamente inédito”, destacou.

O evento promovido pela AEA-MG contou com a participação do presidente da associação, Maurício Aguiar; do vice-presidente, Itamar Ferreira Gomes; dos membros do conselho deliberativo, da diretoria e do conselho fiscal. Além deles, o presidente da Federação Nacional das Associações de Aposentados e Pensionistas da CEF (FENACEF), Edgard Antônio Limas; a presidente da Associação Paulista dos Economiários Aposentados (APEA-SP), Maria Lúcia Dejavite; a presidente da Associação Nacional Independente dos Participantes e Assistidos da FUNCEP (ANIPA), Vânia Telma Lacerda; o presidente da Associação do Pessoal da Caixa Econômica Federal de Minas Gerais (APCEF/MG), Paulo Roberto Damasceno e economiários aposentados.